História

História de Avanca


Breves notas sobre a história de Avanca

A Freguesia de Avanca situa-se no concelho de Estarreja, distrito de Aveiro. Avanca é uma das 7 freguesias que constituem o concelho da Estarreja, e ocupa um território de sensivelmente 2400 hectares, de forma praticamente quadrangular. Geograficamente, Avanca é cortada pelo caminho de ferro - Linha Norte - cujo troço, Aveiro-Porto foi inaugurado em 7 de Julho de 1865; e quase paralela a esta via-férrea, a estrada nacional n.º 109 (Porto-Aveiro-Figueira da Foz) que faz fronteira à Igreja Matriz, e seu Largo, distando do Porto 42 km, e de Aveiro 23 km. Mais perto, fica entre Ovar (6 km) e Estarreja (5 km) a cujo concelho pertence mais recentemente e atravessado pela A29 e pela A1, sendo vias estrurantes e com acesso a Norte da freguesia. Segundo o dicionário geográfico do Padre Luís Cardoso (1747) e a informação do Reitor Fraião (1758), houve tempo em que Avanca, pertenceu a três concelhos; - Estarreja, Feira e Bemposta, sendo, neste mesmo tempo, da Província da Beira-Baixa e da Comarca de Esgueira.
Fonte: Jornal O Primeiro de Janeiro, 2005 e Câmara Municipal de Estarreja.
                                                                   
A referência mais antiga que se conhece relacionada com Avanca surge em documentos medievais datado do século X até ao século XV, onde se lê, pela primeira vez, a expressão “Abanca, Ananqua, Vanca” e Avanca são diversas grafias do vocabulário Avanca. A origem deste é obscura, no entanto, “basta o topónimo para garantir ao território desta freguesia uma antiguidade pré-nacional (sufixo Anco origem pré-romana). A restante toponímia da freguesia é também muito importante pelo medievalismo pré e pós nacional”, exemplo Água Levada, Arada, Gonde, etc...
Fonte: Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, n. 38.

Avanca tal como é escrita hojedeu início no século XVII, mas o seu nome apareceu pela primeira vez no ano de 1046, numa carta de testemunho “Avanca tres villas que comparavimus”.

Existem analogamente teorias que antigamente terá aqui existido uma vila com o nome de Banca, outros há que defendem que Avanca é a corrupção de avenca, planta medicinal.

Havendo dúvidas quanto à sua localização terá existido em Avanca o Mosteiro de Santa Marinha, que o rei D. Ordonho II doou o Padroado de Avanca a D. Gomado e ao Mosteiro de Crestuma “Et in ripa de Antoana Monasterio Sancta Marina… illum obtinuit dommus Salomon”.
Fonte: P.M.H.


Em 1254 D. Sancho II ofertou o Padroado de Avanca a D. Pedro, bispo do Porto e à sua sede, o que de alguma forma comprova que Avanca mantinha uma vida religiosa organizada e bastante desenvolvida.
Fonte: Dicionário Enciclopédico das Freguesia, 2º Vol. 1997.
Em 1257 perde a sua individualidade político-administrativa pois foi doada por D. Afonso III com o Couto de Antuã ao Mosteiro de Arouca para se poder efectuar a troca do Couto de Bouças. O Monarca tentou mais tarde reavê-los, mas não o conseguiu, devido ao seu elevado rendimento que as freiras de Arouca decidiram conservar.
Fonte: Arquivo Distrital de Aveiro.


Em 15 de Novembro de 1519, D. Manuel deu o Foral a Antuã, em Évora, no qual se declaram os direitos do Mosteiro de Arouca sobre o mesmo Couto. Até a data de 1834, o dito Mosteiro foi donatário das terras de Avanca. Porém, com a proclamação das leis de Joaquim António de Aguiar, extinguindo os conventos e confiscando-lhes os bens, acabou o domínio que durara 577 anos.
Fonte: Dicionário Enciclopédico das Freguesia, 2º Vol. 1997.
A partir do século XVI formou-se em Avanca um importante núcleo de Nobreza Rural, ao mesmo tempo que permite adicinhar um pouco do que terá sido o desenvolvimento económico desta freguesia até meados dos século XIX, onde a Agricultura era, indiscutivelmente a actividade mais lucrativa, aliada à apanha do moliço e Pesca.

Fonte: Dicionário Enciclopédico das Freguesia, 2º Vol. 1997.


No conteúdo etnográfico ilustra vários quadros da vida agrícola, social, religiosa e tradicional que mostram às actuais gerações os costumes e as vivências de outros tempos. A cultura deste povo também reside nas tradições populares de Avanca: nos trajes típicos, nas alfaias, nas danças e nos cantares da terra.
Fonte: Dicionário Enciclopédico das Freguesia, 2º Vol. 1997.


Avanca é uma freguesia com abundante agricultura, criação de gado e produção de leite. Nesta freguesia concentram-se parte das potencialidades vizinhas, que convergem sobretudo para o fabrico de queijos e manteiga. Pode-se dizer que a actual realidade de Avanca teve início no longínquo ano de 1887 com a inauguração do apeadeiro do caminho-de-ferro, sendo esta infra-estrutura um dos principais agentes de mudança do curso da história sócio-económica da freguesia.
Fonte: Dicionário Enciclopédico das Freguesia, 2º Vol. 1997


Foi em 1920 que começou o moderno movimento de industrialização, com a fundação da primeira unidade industrial de manufactura de ferro. Ao lado desta e paralelamente surgiu a indústria de lacticínios com a Sociedade de Produtos Lácteos, vulgarmente conhecida pelo nome de Fábrica do Pensal devido ao tipo de queijo que nela fabricavam. Em 1934, a “Nestlé” adquiriu-a continuando. No entanto, a usar o mesmo nome de firma (S.P.L).
Fonte: Dicionário Enciclopédico das Freguesia, 2º Vol. 1997.


As bases estavam lançadas e a partir daí novas unidades de lacticínios iriam nascer. A indústria do mobiliário de ferro Avancanense iria ter uma grande projecção e dos modos de vida e costumes das gentes de Avanca sofreriam uma grande alteração.

Em Avanca descansa o espírito que se envolve num ambiente onde apetece permanecer ao longo do tempo.

Avanca é uma vila privilegiada da Natureza. Cursos de água e espaços verdejantes a perder de vista fazem de Avanca uma freguesia que oferece a calma do campo e, por outro lado, a comodidade de uma terra que cresce a par com a modernidade de dia para dia.
Fonte: Jornal Primeiro de Janeiro, 2005.


Padroeira – Santa Marinha de Avanca

O dia da Padroeira da Freguesia é de festa para as casas e famílias da mesma. O dia 18 de Julho é o grande dia para Avanca.
A festa de Santa Marinha de Avanca ganhou justa fama nestas redondezas, contando-se às centenas os forasteiros que nesse dia nos visitam.
Esta comemoração é uma ocasião para reunir as famílias e celebrar muitos acontecimentos quer da vida civil quer da vida religiosa.
Uma Igreja super lotada, uma procissão que não parece ter fim, uma exuberância na ornamentação da igreja, são a manifestação mais clara que é uma festa religiosa para o povo de Avanca.
Fonte: Santa Marinha – História e Lenda, 1971